Buscar
  • Redação JBA

Aeroporto de Congonhas ganha tecnologia inédita para reduzir risco de acidentes

O Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, passou a contar essa semana com uma tecnologia inédita no Brasil que reduz o risco de acidentes na pista. Funcionando como um sistema de frenagem emergencial de aviões, o “Emas” (Engineered Material Arresting System) foi instalado na cabeceira da pista 17R para ser um importante reforço na segurança operacional do terminal da capital paulista.

Imagem: Divulgação / Infraero

A tecnologia consiste em blocos de concreto que se deformam quando uma aeronave ultrapassa o limite da pista, fazendo com que ela desacelere rapidamente. Ou seja, se por algum motivo passar da área segura da pista, o avião acabará afundando e atolando na sua superfície, sem causar danos significativos.


“O Emas é comum em aeroportos dos Estados Unidos, Ásia e Europa, mas Congonhas é o primeiro do país e da América Latina a contar com essa tecnologia que salva vidas e reduz danos, caso ocorra um acidente. Este é um investimento na segurança dos usuários e profissionais do transporte aéreo, e servirá de modelo a ser aplicado em outros aeroportos do Brasil”, disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.


Em 2016, uma aeronave que estava transportando o ex-Vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, deslizou para fora da pista no aeroporto LaGuardia, em Nova York. Felizmente, o local tinha um sistema semelhante ao que foi instalado em Congonhas e ninguém ficou ferido.


O sistema entregue fica na cabeceira da pista 17R e possui uma área de escape de 72m x 47,4m de dimensão. Ainda serão concluídas as obras na cabeceira 35L, que terá área de escape de 64m x 47,4m. Ambas as estruturas são sustentadas por vigas e pilares capazes de suportar aeronaves e veículos usados na rotina do aeroporto. Foram investidos ao todo R$ 122,5 milhões de recursos públicos do Fundo Nacional da Aviação Civil (Fnac) para implantar o sistema.