Buscar

Adoção inter-racial é tema de livro infantil

Livro infantojuvenil conta a história de Mimi, uma garotinha negra que se surpreende ao conhecer uma menina albina


Lançamento da Troia Editora, pelo selo Troinha, A Meninas Sem Cor narra a história de Micaela, a Mimi, uma menina que foi adotada ainda bebê, mas só descobre esse fato aos seis anos, ao perguntar aos pais por que, diferente deles, ela tem a pele escura. Após essa descoberta, Mimi passa a se questionar sobre as diferenças de cor e começa a desejar ter nascido branca. No meio desses questionamentos conhece Olívia, uma garotinha, também de seis anos, albina, que mostra a ela como é bom ser diferente e como todas as cores são bonitas e importantes.


Impulsionada pelo tema da diversidade, a autora e publicitária Fernanda Emediato alerta sobre racismo e apresenta uma lição de amor, empatia, autoaceitação e solidariedade.


“Olivia então pegou Mimi pelas mãos, correu com ela até o outro lado do parque e lhe apresentou seus pais, que eram da mesma cor que Mimi. – Você também é adotada – perguntou Mimi. – Adotada? Não, sua boba! Em minha família, só eu nasci assim. Na verdade, eu também sou negra, acho que quando nasci a tinta havia acabado.” (A menina sem cor, pág. 20)

A evolução da personalidade da criança durante o desenvolvimento da história emociona os adultos e conscientiza os pequenos leitores sobre diversidade. Quem ilustra a A Menina Sem Cor é a artista chilena radicada no Brasil, Yasmin Mundaca.


A Menina Sem Cor, de Fernanda Emediato Editora Troinha, 24 páginas Preço: R$32,00 (impresso) R$ 19,90 (e-book) Link de venda: https://amzn.to/31vv6WO

Sobre a autora: Fernanda Emediato foi uma menina perdida no seu quintal, a Serra da Cantareira, na Grande São Paulo. Os seus primeiros amigos foram macacos, cachorros, tucanos, quatis, esquilos, cigarras e garante que tinha uma amiguinha especial, uma onça que cismava em aparecer no quintal justamente quando ela estava sozinha. Outro escudeiro fiel era o gato vira-lata Tico. Num ataque de um lobo ele a defendeu e perdeu o rabo na briga. A menina cresceu, formou-se em publicidade e atualmente é editora-executiva da Geração Editorial, onde trabalha desde os 15 anos, mas ainda não esqueceu dos amigos especiais e todo final de semana sobe a serra para encontrá-los.

12 visualizações0 comentário

Receba nossas atualizações

Siga nossas redes

  • Facebook - Círculo Branco

Copyright ©2020. Todos os Direitos Reservados 

Desenvolvido pela Redação do Grupo JBA

São Paulo - Brasil

joba@greco.com.br