Buscar
  • Redação JBA

A morte não interrompe a vida

Por Paiva Netto

Imagem: Freepik

Minhas Amigas e meus Irmãos, minhas Irmãs e meus Amigos, o Mundo Espiritual, gosto de reiterar, não é algo abstrato, indefinido. Ele realmente existe, pleno de vibração e trabalho. Não o vemos ainda por uma questão de frequência — obstáculo a ser desvendado pela competente atividade científica e suplantado pela evolução dos sentidos físicos, que se abrirão para novos céus e novos mundos.


Quando Jesus afirma “meu Pai não cessa de trabalhar, e Eu com Ele. (...) Na casa de meu Pai há muitas moradas; se assim não fosse, Eu vos teria dito. Vou preparar-vos lugar” (Boa Nova, segundo João, 5:17; e 14:2), estabelecem-se, de forma clara, na palavra do Divino Pedagogo, a existência e a atuação ativa, militante, do Mundo Espiritual sobre o material, por meio, por exemplo, dos Anjos Guardiães. Desse modo, é necessário que todos estejamos conscientes de tal intercâmbio e saibamos lidar com essa realidade ainda invisível, tornando-a aliada na superação de dificuldades, seja de ordem pessoal — no campo espiritual, emocional ou psicológico —, seja de ordem coletiva — na resolução de problemas mundiais.


A morte não interrompe a vida

A morte não interrompe a vida; portanto, o aprendizado não tem fim. Na Terra ou no Céu da Terra, prosseguimos trilhando o caminho da Eternidade. De acordo com o nobre médico e político brasileiro dr. Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti (1831-1900), “a morte é como um sopro que realiza o transporte da Alma do estado de dimensão física para o de vibração espiritual. A Vida é Eterna”.


O pastor norte-americano Billy Graham (1918-2018), confiante, sinalizou: “Este mundo não é o nosso lar definitivo. Se nossa esperança está verdadeiramente em Cristo, somos peregrinos neste mundo, a caminho de nosso lar eterno no céu”.


Entretanto, de modo algum, essa consciência deve ser pretexto para o suicídio, porquanto essa triste atitude é uma tremenda violência contra a própria Alma e uma atrocidade contra o corpo humano — que nos serve de instrumento educativo.


Assim como a Vida, a Esperança não morre nunca! Lutar pela Vida e perseverar no Bem são escolhas acertadas.


José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV), membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter).

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo