Buscar
  • Paulo Panayotis

A Magna Grécia e a mais grega das cidades italianas!

Por Paulo Panayotis


Vamos gente, coragem. Está praticamente tudo abrindo. Falta um tiquinho... Já, já tudo volta ao normal, apesar dos loucos que insistem nas guerras. Mas, que tal conhecer a Magna Grécia? Sabe onde fica? O que é a Magna Grécia? Então, abra um vinho e sonhe comigo antecipando sua próxima viagem!


Palermo/Sicília. Desembarco no aeroporto Falconi Borselino, em Palermo, na Sicília. O tempo está claro. O voo de Paris, com escala em Roma, foi excelente. É outono na Sicília. A ideia é conhecer “a terra onde a CosaNostra, a máfia, nasceu”. Mas a Sicília guarda outro título bem melhor e mais antigo. Trata-se da Magna Grécia! É esta Sicília que procuro. Contextualizando você: a Sicília é a maior das ilhas do mar Mediterrâneo e fica no sul da Itália. É, digamos assim, a bola no final da bota! Como fica entre a Grécia a África e o Oriente Médio, sempre foi caminho de comerciantes e rota de invasores. Um divisor natural entre Ocidente e Oriente. Por lá passaram romanos, godos, visigodos, árabes, fenícios e gregos, entre outros invasores. Meu plano: alugar um carro e dar a volta na “ilha” em uma semana. Tempo suficiente, dependendo do tempo. Se não chover, será tranquilo.

Mapa da Sicília: a bola no final da bota!

O espanto é imediato! As surpresas se sucedem. Com todo o respeito, nem parece a Itália. No desembarque, um aeroporto tranquilo. Melhor. Um aeroporto que funciona segundo os melhores padrões europeus. Já motorizado, sigo viagem por estradas excelentes, largas, seguras, sinalizadas e praticamente sem pedágio! Sim, são pouquíssimas as autoestradas pedagiadas na Sicília. Siracusa, Taormina, o vulcão Etna, a rural Marsala e a histórica Agrigento, a mais grega das cidades fora da Grécia, esperam por mim. O tempo ajuda. O clima ajuda. A história ajuda e até os Sicilianos ajudam.

A belíssima Scopello, uma das dezenas de praias escondidas na Sicília

São dias de pura informação, de aprendizado histórico e deleite gastronômico. Justamente pela localização e pelas dezenas de invasões, a comida siciliana, se assim podemos dizer, é soberba. Tem todos os ingredientes do Mediterrâneo e ainda os do restante da Europa e do Oriente Médio… Peixes grelhados com orégano, massas com trigo de “grano duro”, cordeiros extra macios e especiarias, muitas especiarias. Mas ainda não é hora do almoço. De Palermo a Siracusa, de carro, são aproximadamente 260 quilômetros. Cerca de duas horas e meia sem correr. Siracusa é a terra do matemático Arquimedes. A cidade chegou a rivalizar com Atenas e Roma em poder político e econômico. É também a terra do ‘cannoli’, um doce típico siciliano extraordinário.

Cannoli, doce típico Siciliano

Feito com massa crocante é uma espécie de canudo, de pastel, recheado com creme. De lamber os beiços! De Siracusa, dou uma passadinha no temido vulcão Etna, o senhor da Sicília. No entanto, o grosso nevoeiro me impede de seguir até a cratera. Como não dá para ver nada, sigo para a histórica Agrigento. Como sou filho de gregos e conheço bem a terra da Deusa Atena, estou ansioso. Conhecer o Vale dos Templos, o maior e mais preservado conglomerado de monumentos históricos gregos fora da Grécia, é um sonho antigo.

Vale dos Templos em Agrigento, Sicília

O dia, de um azul profundo, me dá as boas-vindas e tenho o prazer de conhecer cada pedacinho deste local único. Situando novamente: a Sicília foi duramente disputada pelos fenícios e gregos. Estes últimos levaram a melhor. E levaram a ilha ao seu apogeu durante os cinco séculos que por lá permaneceram. Por isso, em cada canto da Sicília há templos gregos dedicados às divindades mitológicas helênicas sem falar das dezenas de teatros a céu aberto. E é em Agrigento que se concentram talvez os mais relevantes e seguramente os maiores complexos arquitetônicos daquele período. Daí o nome ‘Magna Grécia’, capisce? Dias muito intensos, inesquecíveis. Ah, gostou da Sicília? Quer conhecer mais? Então você é meu convidado. Entre no portal “O Que Vi Pelo Mundo” (www.oquevipelomundo.com.br) e viaje, em vídeo, por toda a Rainha do Mediterrâneo. Espero vocês lá com muitas dicas e histórias deliciosas. Ciao belos!


Fotos: Paulo Panayotis / Adriana Reis - © O Que Vi Pelo Mundo


Paulo Panayotis é jornalista especialista em turismo, mergulhador e fundador do Portal OQVPM - O Que Vi Pelo Mundo. Mora na Europa, tem passaporte carimbado em mais de 50 países e viaja com patrocínio e apoio Avis, Travel Ace e Alitalia.